Sou feita de retalhos…

“Sou feita de retalhos…
Pedacinhos coloridos de cada vida que passa pela minha e que vou costurando na alma.
Nem sempre bonitos, nem sempre felizes, mas me acrescentam e me fazem ser quem eu sou.
Em cada encontro, em cada contato, vou ficando maior….
Em cada retalho, uma vida, uma lição, um carinho, uma saudade…que me tornam mais pessoa, mais humana, mais completa.
E penso que é assim mesmo que a vida se faz de pedaços de outras gentes que vão se tomando parte da gente também.
E a melhor parte é que nunca estaremos prontos, finalizados…haverá sempre um retalho novo para adicionar à alma.
Portanto, obrigada a cada um de vocês, que fazem parte da minha vida e que me permitem engrandecer minha história com os retalhos deixados em mim.
Que eu também possa deixar pedacinhos de mim pelos caminhos e que eles possam ser parte das suas histórias.
E que assim, de retalho em retalho, possamos nos tornar, um dia, um imenso bordado de ´nós’. ”
(Cora Coralina)

Aos carentes em geral….

       Tem gente que nasce carente,com uma carinha de “quero colo”,bracinho esticado,beicinho de choro.Essas pessoas adoram um aconchego,tem um olhar de “pidão,enroscam-se num abraço,caçam um colo,adormecem risonhos num cafuné sem pressa.São explícitos e desavergonhados.

           Mas existem carentes silenciosos, que, orgulhosos,esperam tímidos e impassíveis,o carinho e o afeto que a forte inibição afetiva os priva de curtir.Em uma prisão horrível,invisível e torturante habitam pais,filhos,cônjuges,enfim,qualquer pessoa que não saiba manifestar seus sentimentos e emoções.Imagine amar alguém e não conseguir se expressar?Ou querer um abraço,um ombro amigo e não conseguir tomar iniciativa?É aquela história de dar o melhor ao filho,mas sem conseguir nem chegar perto do rebento.Ou o contrário.

            Telas não fazem carinho, nem olham nos olhos.Pois,se a vida moderna,rápida e acelerada já nos roubava o tempo,o encanto,a afetividade necessária,imagine agora,quando nem nos sentamos a uma mesa sem os nossos celulares ou eletrônicos,ou ainda quando ficamos perto de alguém que está com o seu headphone,em outro ritmo,em outra onda.

             Ok,tempos pós-modernos,pós-verdade,sei lá o quê.O individualismo é o modo de vida.Cada um que se vire em seu grupo de Whats,em sua rede,porque,a essa altura,face virou coisa de dinossauro,Snap,da galera,e se muito,uma bobagem da hora é compartilhada no YouTube.mas,no geral,sobram carentes,sejam reais ou virtuais.Queremos sempre algo ou alguém que nunca é quem está ao lado.Sempre existe o mais bonito,o mais rico,o mais bem-sucedido,e a ilusão de que o outro é sempre mais feliz.pelo menos nas selfies,nas redes,nas telas.Aí a carência vira material,e dá-lhe compras e cartão estourado.Sim,a grama do vizinho é sempre mais verde.

     Mas,com tanta internet,tudo parece do que o da gente.Cabelo,corpo,carro,férias,família,vida.É um tal de comparar,competir e invejar que Deus me livre!qual parâmetro devo usar?qual referência é valida?O filho afetivo e educado da prima ou o marginalzinho do vizinho?O que é normal?Como educar?Como escolher um cônjuge?

          Somos carentes de segurança,de fé em nós mesmos,de um líder,de um guia.Num tempo em que o certo ou o errado são questão de visão do mundo,as muitas mídias têm duas em cada três notícias falsas ou fabricadas,um presidente americano que repete “fake news” a cada seis palavras,precisamos de colo,de companhia,de alguém que faça um carinho ou uma massagem relaxante,que conte uma história engraçada ou que invente um fato romântico que embale o nosso sono.

               Invente uma ficção científica na qual,num futuro próximo,o planeta passe por transformações tão fantásticas que a fraternidade possa emergir como um belo nascer de sol,na qual a empatia nos faça dividir as riquezas naturais de forma altruísta e generosa,na qual máquinas e tecnologia façam o trabalho pesado para que possamos viver de pensar,sentir e desejar,admirar o meio ambiente,viajar sem rumo,sem passaporte,apenas com a energia do pensamento,habitar um lar chamado Terra e sentir que humanos somos todos.Por isso,um termo se tornou sagrado:semelhantes!Chega de apontar diferenças entre nossos semelhantes.

             Quero resgatar o que temos em comum.Assim se comunga,se comunica,se torna comunidade.E que nossos braços sirvam para abraçar;nossos ombros,para apoiar;nossa voz,para acalmar;nosso ouvido, para ouvir a dor dos outros;nosso tato, para fazer um cafuné de amor.

               Viva a carência de quem luta pelo afeto,pelos sentimentos tão negados,escondidos ou esquecidos.S.O.S.para o amor, a fé no outro,a paz no coração!

Eduardo Aquino

 

O POEMA

 

“Eu me ajoelhei para orar,
mas não por muito tempo,
Pois tenho muito a fazer.

Eu tive de apressar e ir trabalhar

Pois contas em breve precisam ser pagas.

Assim, me ajoelhei e orei apressadamente.

e me levantei depressa de meus joelhos.

Minha obrigação Cristã foi feita.

Minha alma pode descançar em paz…

Por todo o dia eu não tive tempo
De espalhar uma palavra de alegria
Sem tempo de falar de Cristo aos amigos,

Êles ririam de mim, eu receio.
Sem tempo, sem tempo, muita coisa a fazer,

era minha constante reclamação
Sem tempo para dar às almas necessitadas
Mas por último o tempo, o tempo de morrer,
eu fui perante Nosso Senhor,

eu entrei e fiquei de olhos baixos.

Pois em Suas Mãos , Deus tinha um livro,

O Livro da Vida!
Deus olhou em Seu Livro e disse:
” Seu nome não consigo encontrar,

Uma vez Eu ia escrever seu nome…
Mas nunca encontrei tempo”!!

(Desconheço autoria)

DEFICIÊNCIAS …

“Deficiente” é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.
“Louco” é quem não procura ser feliz com o que possui..
“Cego” é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.
“Surdo” é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.
“Mudo” é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
“Paralítico” é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.
“Diabético” é quem não consegue ser doce.
“Anão” é quem não sabe deixar o amor crescer. E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:
“Miseráveis” são todos que não conseguem falar com Deus.

“A amizade é um amor que nunca morre. ”

Mario Quintana
(escritor gaúcho 30/07/1906 -05/05/1994)

As Pedras e o Vaso

Numa aula de filosofia, o professor tomou um vaso de boca larga e dentro colocou primeiramente, algumas pedras grandes.
Perguntou, então, à turma:”Está cheio?”.
Pelo que viam, o vaso estava repleto e, por isso, os alunos responderam: “Sim!”.
O professor, então, tomou um balde cheio de pedrinhas e virou dentro do vaso, tendo as pedrinhas se alojado nos espaços entre as pedras grandes.
Então, ele perguntou aos alunos:
“E agora, está cheio?”, e os alunos responderam: “Sim!”.Veio o professor agora com um saco de areia e entornou dentro do vaso,procedendo a mesma pergunta.
Os alunos, embora hesitantes agora,responderam afirmativamente mais uma vez, já que a areia preencheu os espaços entre as pedras e as pedrinhas.
Finalmente, o professor tomou um jarro com água e despejou dentro do vaso tendo o líquido encharcado e saturado a areia…
…Explicou ele desta forma;
A menos que você, em primeiro lugar, coloque as pedras grandes dentro do vaso, nunca mais conseguirá fazê-lo”.
E pôs à disposição da turma, material igual ao primeiro vaso, ficando os alunos surpresos de não conseguirem, invertendo a ordem, que coubessem as pedras grandes.
Elas sobraram.
O vaso já estava repleto com as coisas menores.
E aí vem a explicação final:”As pedras grandes são as coisas realmente importantes de sua vida: seu crescimento pessoal e espiritual.
Quando você dá prioridade a isso e se mantém aberto para o novo, as demais coisas vão se ajustando por si só:seus relacionamentos (família, amigos), suas obrigações (profissão,afazeres domésticos), seus bens e direitos materiais e todas as demais coisas menores que completam a vida. Mas se você preencher sua vida prioritariamente com as coisas pequenas, então as que são realmente importantes nunca terão espaço”.

Esvazie seus vasos e recomece a preenchê-los com as pedras grandes.
Ainda há tempo!…

(Desconheço autoria)

Autor da vida

pintando-a-vidaVai…
Deixa de tristeza e deixa o sonho te levantar, acredite que é possível ainda hoje uma virada, acredite que tudo foi apenas um engano,
mantenha a rota do seu barco da vida, não desista novamente, as pedras são apenas restos que a chuva trouxe…

Amar, viver, sonhar, acreditar, lutar e até o chorar, são fases que compõem o grande quadro chamado vida, onde a tela
é a sua história, as tintas são as pessoas que passam por ela, mas, o pintor,
o responsável pela obra será sempre você.

Haja o que houver, aconteça o que acontecer, o pincel que mistura as cores, que dá forma ao que vai surgir na tela, que cria e apaga situações e imagens,
ainda está na sua mão.

É você quem pode criar agora, uma estrada florida,
ou o caminho escuro das incertezas e dúvidas.

Já que você é o autor,
o pintor dessa tela chamada vida, comece pintando um sorriso, que é o sinal que representa a esperança,
a renovação, símbolo dos que não desistem nunca de ser feliz, e ser feliz exige criatividade, esforço e dedicação.
Se tudo deu errado até aqui,
passe tinta branca em toda a tela e recomece, hoje é o dia perfeito para uma nova pintura…
Paulo Roberto Gaefke

Pequena proteção e Exorcismo de São Patrício

fonte: http://www.padremarcelorossi.com.br

%d bloggers like this: